quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

relato de parto - the farm

Este não é bem um relato do parto, mas a chegada do bebé: a mãe estava com 7 meses de gestação quando começou a perder sangue. Com o apoio da equipa de parteiras da Farm e aprovação do médico, ficou em repouso, em casa, sendo monitorizada por mais 5 semanas (análises ao sangue, para verificar a hemoglobina; o cérvix, para verificar se a placenta estava prévia; e o bem-estar fetal, pelo batimento cardíaco e movimentos do bebé), apesar de perder sangue frequentemente. Quando teve uma hemorragia mais forte passado esse tempo, acompanhada de contracções intensas, foi levada para o hospital, acompanhada do marido e da parteira. Teve que ser submetida a uma cesariana de emergência, o que a deixou assustada, pois não era isso que tinha planeado, apesar de saber que seria um possível desfecho.
Aqui fica um pensamento no regresso a casa (posso traduzir, se necessário):

Mary Louise [a parteira], his Guardian Angel, came to Owen's homecoming. He really knew he was home. He stretched and opened up and relaxed as I'd never seen him do in the hospital. He looked like a flower opening up. It felt like the real birthing as we all shared and appreciated his newborn consciousness. It was truly a blessing.
in Owen's Birth (Spiritual Midwifery)

1 comentário:

We Are Not Tyical - WANT disse...

que bonito. O meu bebé também não esteve nada descansado na maternidade mas nunca me ocorreria descrever a chegada a casa de uma forma tão bonita.

obrigada por este relato.