segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Continual Feeding

Achei muito interessante este conceito por parte da psicoterapeuta argentina Laura Gutman (no seu livro - fantástico - "Maternity - Coming face to face with your own shadow".
O conceito advém do facto (cientificamente provado) que o período de gestação dos seres humanos está encurtado por razões fisiológicas (o facto de termos evoluído para bípedes e seres racionais, o que torna as nossas ancas mais estreitas e ao mesmo tempo a nossa cabeça maior, tendo os nossos bebés que ter que nascer antes de estarem aptos a deslocar-se com os progenitores, como a maior parte dos mamíferos). Assim, na realidade, em vez de 9 meses de gravidez, deveríamos ter 18 meses de gravidez, pelo que um bebé desde que nasce até que perfaz 9 meses de idade depende exclusivamente do seu cuidador e todas as suas necessidades básicas devem ser satisfeitas o mais imediatamente possível, tal como aconteceria na barriga da mãe.

"Just as when the child was in his mother's womb, his need for food after birth is ongoing and constant, by which I mean not only the physical sustenance we call "mother's milk". The opportunity for sucking, swallowing, and satisfaction of hunger is something that should be available whenever he needs it. It is interesting to note how easily mothers refuse to feed their child because "he just ate". We must consider the power we have over our children when we arbitrarily decide whether or not it is "right" to provide them with sustenance, whether they are hungry or whether they deserve it."

Pensem nisso...

2 comentários:

Cat disse...

depois de ler-mos Laura Gutman a nossa vida nunca mais é a mesma :)

Ana Cristina Cardoso disse...

Olá Moya,

Descobri o teu blog por links cruzados de pessoas que ambas conhecemos. Estou a adorar até agora, e não podia deixar passar em branco este post sobre Laura Gutman... Foi um dos livros que li que mais me marcou e nunca mais fui a mesma, é verdade!...

Ana Cristina (de Coimbra e encontro CNV em Maio)