quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A interior vozinha maldosa...

A nossa caminhada pela parentalidade tem nos deixado muito gratos a todos os que de coração aberto e boas-intenções partilham connosco o seu conhecimento e experiência. Tem nos enchido as medidas com tudo o que conseguimos fazer até agora e ao mesmo tempo tem-nos ensinado a ser humildes e a pensar antes de criticar.
Mas há sempre aquela vozinha maldosa, fruto de anos e anos de conversas de comadrio e de percepções distorcidas do que é suposto ser uma criança e como educá-la ("porta-te bem", "vá lá, come isso", "pára de chorar", "porque é que não dormes?") que volta e meia emerge no nosso subconsciente quando olhamos para outra mãe com o seu filho e nos diz:
"Que horror! Se fosse eu, lidava com esta situação de outra forma!", "Como é que aquela mãe consegue fazer aquilo ao filho?", "Que criança mal-educada!"
Essa voz não tem em conta a história daquela família, daquela mãe, daquela criança. Aquela voz não sabe que experiências as traumatizaram, o que passaram nesse dia, nessa semana. Aquela voz não sabe nem se interessa. E é isso que tenho tentado mudar em mim. Antes de dar ouvidos àquela voz, passei a dizer-lhe para esperar um momento. Um momento que me dedico a sentir compaixão, a tentar meter-me no lugar daquela mãe, daquela criança...
Se mais pessoas o fizessem, o mundo seria um lugar diferente...

2 comentários:

Cat disse...

é dificil..... mas é libertador....
mil beijos com saudades!

want a miracle disse...

tão importante. também vou por aí.
beijos