sábado, 16 de julho de 2011

Regressões


Pelo vídeo anterior, o que vou abordar agora faz imenso sentido.
Algumas amigas mamãs têm-se queixado das regressões.
Não, não voltámos à Análise Matemática, mas a regressões comportamentais ou fisiológicas.
P.e., quando um bebé que dorme 6 a 7 horas seguidas começa de repente a acordar de 3 em 3 horas. Ou quando um bebé desfraldado volta a fazer as necessidades sem avisar.
Apesar dos meus falhanços educacionais, nunca tinha notado alguma regressão na Joana, excepto na fala: quando ao início ela falava as palavras poucas que sabia de forma absolutamente correcta (excepto o L, mas devia ser defeito da minha própria fala), quando começou a juntar palavras, começou a trocar algumas letras, mas apenas em algumas palavras): o T pelo C (Cama é Tama), o V pelo R (Rabo é Vago). Porém, nos momentos em que estou mais nervosa, sem tempo e sem paciência, noto que ela se ressente (acorda mais, mama mais, choraminga mais, quer mais colo).
Esta semana apercebi-me que teve a sua primeira regressão: voltou a não avisar quando quer fazer chichi (ou então avisa em cima da hora). O resultado são muitas chichizadas pela casa e roupinha para lavar. Tento - na medida da minha esgotada paciência - não me zangar com ela. E para cúmulo, agora a partir das 4h da manhã acorda quase de hora a hora para mamar. E perguntam vocês: mas já não a tinhas desmamado de noite? E eu respondo: já sim, senhora. E continuo a não dar (a não ser em episódios de doença), mas agora sempre que acorda tenho que lhe explicar que as "mimis estão a dormir e só acordam de manhã". E ela, que já aceitava tão bem esta resposta, agora desata a guinchar e espernear sem que nada a acalme. Acabo por ter que ir fazer um biberon de papa rala para lhe dar ou sacar da mama para a acalmar...
No entanto, o que gostaria de frisar é que os retrocessos ou regressões SÃO PERFEITAMENTE NORMAIS. São momentos em que o corpo e a mente se organizam ou pausam para descansar de forma a continuar mais tarde. Não há que stressar com isso (a não ser que não consigam dormir mais de 8h seguidas há mais de 2 anos, como eu ;P) e dar tempo ao tempo. As regressões mais tarde ou mais cedo (e normalmente é "mais cedo" se não pressionarem, questionarem ou castigarem a criança), acabam por se desvanecer. A única coisa que geralmente basta é muito carinho e suporte emocional para que a criança se sinta segura que irá ultrapassar essa fase.

1 comentário:

We Are Not Typical - WANT disse...

8 horas seguidas? 3 horas é o max que durmo seguido e há mais de dois anos :( tenho que desmamar. acabou-se